Easy? Será?

Estava eu bem querida, bem mimosa, num passado muito, muito remoto (morto e enterrado e espero que apesar das voltas que o mundo dá, assim permaneça) trabalhando no dia do meu aniversário.

Eu eu tinha um "namorado" ou candidato a isso, novo. E o infeliz resolve me presentear com uma tele-mensagem. Eu queria era vê-lo, mas tudo bem. Mensagem romântica, texto coerente... Com Easy como música de fundo. Destaque para a parte "garota vou te deixar amanhã", trecho da música que na hora passou batido.

Logo depois, o infeliz liga, perguntando se tinha gostado, etc, etc. Ah, que bom, disse ele, porque eu não ouvi, só pedi para a moça uma telemensagem assim, assim assado.

Bem, eu murchei de tal forma que a ligação deve ter caído. Sorte a dele que não estava na minha frente dizendo aquilo (mais tarde o fez, estou dizendo que era infeliz)!

Se alguém pretende se aproximar de mim, nunca jamais me mande algo impessoal, padronizado, sem ecolher. Pelo amor de deus, ele poderia ter dobrado um papel em três e feito uma flor, poderia ter colado duas pedras e dito que éramos nós dois que eu acreditaria e daria muito mais valor.

Ah, e quando estive na casa dele, ouviu Amado Batista como se ouvisse Bono Vox, Sting ou outro mito maior, pensava que estava abafando. E cometeu outros pecados que o "horário não permite dar os detalhes sórdidos". Eu derrubei umas benditas bananas de porcelana que estavam sobre o interruptor da cozinha (isso lá e lugar de pendurar bananas de porcelana?) e gente, ele rui muito. Até ai tudo bem, mas sou dada a esses acidentes, e quando tudo falta um pedaço em casa a coisa começa a ser menos engraçada. Inclusive, naquela época eu vivia muito mais tensa que hoje, era cheia de marcas roxas de tanta topada que dava sem querer. Eu era poi.

E me avisou que a mãe dele era das mais organizadas (de fato, eu poderia sofrer uma cirurgia na cozinha sem o menor risco de contaminação)! Bem, quer me ver longe, é tentar me aproximar de uma dona-de-casa padrão, convicta e bem sucedida. Me-do! Mas para não dar margem para mal enendidos, esclareço que convivo bem com todo o tipo de gente, mas as amélias tem a mania feia de ficarem se exibindo dos seus feitos e de achar que todas devem ser assim, entre outras atitudes machistas que o-d-e-i-o. E todo o mundo sabe que esses atributos "amelísticos" não são o meu forte. E sou competitiva, e não entro na competição para perder. Então...

Ah eu costuro, pinto e etc mas no geral, sou péssima dona-de-casa. E meu cérebro (inho) dda (ão) na hora imaginou que ele esperasse que eu fosse como a mãe dele. Nunquinha! Nem quero...

(Conheci alguns especimes que acham que porque a pessoa gosta de craft, não pensa em mais nada na vida.)

E mais, querendo se manter próximo, ou que eu me aproxime, em  hipótese alguma, vá me ver de sapato e calça de moletom! Ou eu ficaria cada vez menos easy.

Resumindo, em tempo record me curei da paixonite que tinha me acometido. E ri da ingenuidade dele, incontáveis vezes.

Comentários

•SunSamadhi• disse…
hahahah que figura que tu é! "Pelo amor de deus, ele poderia ter dobrado um papel em três e feito uma flor, poderia ter colado duas pedras e dito que éramos nós dois que eu acreditaria e daria muito mais valor."
desculpe o auê disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
•SunSamadhi• disse…
E dos espécimes infelizes que julgam as pessoas que fazem crafts, conheço uma penca delas, mas quando começam a conversar, isso se desfaz, já fiquei puta da vida por causa dessas coisas, uma amiga chegou pra mim e falou que eu era meio hippie.. HIPPIE?? pqp, hippie nãaaaaooo!! tudo menos hippie.

Pra quem não tem a mínima habilidade manual, não sabe fritar um ovo, realmente, pra uma pessoa assim, fazer o que eu faço deve ser algo interessantíssimo ou então deve ficar com inveja porque não sabe fazer porcaria nenhuma e acaba soltando alguma besteira do tipo.

Mas hoje em dia eu deixo passar... tô nem aí! heheh
desculpe o auê disse…
rsrs mas é verdade! Gosto mais mesmo, sou desse tipo de boba :)
•SunSamadhi• disse…
Se você é boba por causa disso eu também sou, uai! :)
desculpe o auê disse…
Bah, Sun, o idiota nem ouviu a tele antes de mandar! Isso é o fim!
Nem sei o que foi pior: se isso, a musica e achar que estava abafando ou a calça de moleton+sapato :)
desculpe o auê disse…
Me refiro à do Amado Batista. Daí para o sertanejo é um passo!
Martini Bianco disse…
pois.. ele não pensou direito. Foi um grande erro ele ter feito essa comparação, logo com a futura ex-sogra ahahah.

Ele deveria ter te enviado uma mensagem "para uma artista" ao som de koop ou Nouvelle Vague...
Ainda assim, mal ou bem ele sempre pode tentar pq estava perto. :)
desculpe o auê disse…
Sun: somos bobas irremediáveis, as duas. E eu, uma das última românticas da face da terra... custa tão pouco agradar pessoas como nós...e só uma questão de um olhar atento, bem de perto!

Martini: bastaria que ele evitasse o brega e o sertanejo. Me daria por satisfeita já que estava meio encantadinha :) Mas, se viesse com uma dessas sua sugestões, me derreteria na hora, e até esqueceria das bananas de porcelana!

(não entendi o último parágrafo, refere-se a estar perto do meu gosto musical com Faith no more?)

beijo
Martini Bianco disse…
não.. referia-me a estar perto de voce... distância geográfica

ahaahaha...

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz