Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Enquanto isso #2 (de 1000)

Mudei template, i-nú-me-ras vezes e não fiquei satisfeita com nenhum. Ou muito poluído, ou muito escuro para o fim que eu precisava, ou branco, ou sem graça, ou o template não dizia absolutamente nada, água morna.
Aí saí à procura, e encontrei vários. Aplica. Não dá. Botões sem fins lucrativos, links que vão para lugar nenhum.... Funcionalidade abaixo de zero. Putz, então deixa do jeito que está... Não! Preciso de um template hoje ainda!
E eu olhando e pensando: eu deveria saber fazer isso de cabo à rabo. Estou ainda na parte do cabo no nível "vaga noção" em folhas de estilo. E eu querendo desenvolver botões que se desdobram (isso tem um nome que não lembro qual)! Quanto atrevimento... Mas tudo bem, cada coisa ao seu tempo.
Resultado, boa parte da tarde nisso, leitura de manhã, downloads à noite, fotografei... pintei molduras (duas-zinhas só : ) ), olhinhos nas kokeshis, feijão, camas, louça, vassoura, ai, ai, roupa no varal... 
Tudo mais ou menos em dia, tarefas informatísticas…

E eu continuo

waiting pelo e-mail da agência.

(não vale, Martini!)

Não perco de vista

Que um defeito que às vezes pode ser extremamente irritante, tem como sua sustentação uma qualidade.

Por exemplo, quem analisa um objeto, o pega com cuidado, pode fazer o mesmo com uma pessoa. Pegá-la com cuidado e ter um toque tão leve, tão sutil que se nota apenas a eletricidade que o contato provoca, não a pressão sobre a pele.

Ou, quem deixa tudo cair, quebra, pode fazer o mesmo com uma pessoa. Segurá-la com tanta força, com tanta intensidade, sem cuidado algum. E desse contato se percebe além da eletricidade e da pressão sobre a pele, uma vontade de sentir absurda.

Não sou especialista no assunto, não saí por aí tocando todo o mundo ou deixando que me tocassem. Mas o que eu disse é verdade (ao menos para mim).

Se é generosidade da minha parte ver o lado bom das pessoas, inclusive dentro dos seus defeitos, então essa azeda que vos fala é generosa demais.

E isso me faz tolerante. Isso é gostar de pessoas como elas são. Se elas vão ou não mudar, é uma escolha que deve ser delas. A ú…

Enquanto isso parte 1 de 1000 (aproximadamente)

Olhar o noticiário enquanto meia dúzia de videos carregam simultaneamente para que eu os veja depois, totalmente alheia. Alheia hoje com todo o gosto, ao contrário das outras vezes que fico distante.

Furiosa

Não vou me dar ao trabalho de contar em pormenores, mas aqui é meu lugar, e somos todos amigos, eu e esses quatro ai do lado, posso me dar ao luxo de admitir:

QUE NÃO PODENDO GRITAR, USO O CAPS LOOK!

tudo por causa desse maldito... machismo? orguolho? pouca vontade de colaborar de verdade? falta de engajamento?

(aqui tinha parágrafos enormes que gentilmente deletei)


(olha, eu diria tanta, mas tanta coisa aqui que convenceria até o papa de que súcubos existem, que 2012 está ai, e que os aliens estão entre nós todo o tempo facilmente)

Antecipando a noite de sexta

Li hoje tudo o que costumo deixar para ler sexta à noite. As cerejas do bolo.

sorriso grande

Comecei o dia por aqui. Charges sempre abrem um sorriso (ainda que sarcástico). Humor é outra coisa que sem a qual não consigo viver.

Num ambiente sisudo onde ninguém ri, seja pela falta da cultura do riso, seja pela pressão a que estão expostos (maior pela falta de humor, seguramente), seria a única e tapar a boca com as duas mãos e me desmanchar rindo.

Isso no início, quando todos estivessem acostumados, aí sim, sorriso aberto.

(Hoje sá sei esperar, antigamente fazia-o logo de cara)

Para quê fui lembrar?

E já derramei lágrimas grossas, dessas que não se consegue conter assim facilmente. Dessas, que mesmo que cessem, a dor continua, ao ouvir essa música.

A música é muito linda. Muito mesmo, independente da tristeza que ela representa.

E hoje, já recuparada, posso entrar em contato com essas dores sem ser absorvida totalmente por elas. :)

E já posso dar aqueles sorrisos que levantam as sobrancelhas, os que iluminam o rosto todo e não os que se sorri só com os lábios.

la belle de jour

Isso é realmente encantador. Nós brasileiros damos pouco valor, mas se ele não falasse português, com esse instrumental e essa letra singela (seja com g ou j), não sairia da playlist.

Sonífero

Minha filha pegou no sono assistindo o horário político. Claro, imagens agradáves, sons amenos e alegres...

(para os adultos, soa como um belo de um boa noite cinderela)

Waiting

por um e-mail.

chego a visualizar em pretinho, digo, negrito, o nome da agência na caixa de entrada. Toda essa expectativa por apenas um estágio. Imagine se fosse uma vaga de verdade!
(Não estou testando as práticas de "O Segredo", vem automaticamente. Será que deveria?)

Depois dessa noite

Em que acordei de cinco em cinco minutos, só saem coisas como essas que acabei de postar.

Encher linguiça é ...

Pegar uma tuitada e fazer dela um post.
De várias páginas, com direito a "continua..." e tudo.

(confesso que muitas tuitadas dariam ótimos posts)

Otimismo é...

É usar calcinhas feias e esperar que alguém diga:
-Tire!

Agora as letras miúdas:
(o faria na hora :) depois de algum tempo sem, colocaria outra. Feia também, para que o pedido se repetisse.)

complexo de emília

Já comentei que tenho um milhão de ideias discutiveis a cada segundo. De vez em quando, tal como acontece com meu pai, e só não deve acontecer com quem não tem ideias, constato que alguém já a teve antes.

Que droga.

a mesma avidez de antigamente

Hoje li "Design para quem não é designer". É como se fosse a Bíblia. Uns até chamam de bíblia do design. O livro é bom, ótimo na verdade. Mas chamar de bíblia é um exagero (mesmo sendo os exageros aqui bem vindos, depois a gente pede desculpa pelo transtorno) pois ao contrário do livro sagrado, tem bem poucos personagens e no final tudo termina bem.

O único hell que deparei refería-se a  Linotype Hell e não queria dizer inferno.

No final um oh, meu deus... eu deveria saber disso tudo antes!

(nem os simples avisos de "ar condicionado - entre" serão os mesmos depois disso)

# li por aí

"Não deixe que as sementes o impeçam de comer a melancia com prazer."

Charme #2

Dia desses encontrei a escova de cabelo na caixa de calçados do meu filho. Só então me dei conta de que ainda não tinha penteado os cabelos. Sequer tinha me visto no espelho naquele dia.

Isso é que vaidade...

Charme #1

diálogo curto de hoje de manhã:
-Cobra, tu dormiu com um tic-tac no cabelo!
-sim (de olhos ainda fechados)... é para garantir o charme assim que acordar.

(Dia desses, isso já tinha acontecido. Acordei e senti falta da franja insolente, aí me dei conta que tinha dormido com ela presa. Isso foi naquela noite que um pedra atingiu minha cabeça e dormi feito um anjo)

Na verdade

Mulher quando sorri mostrando os dentes de baixo, não está sorrindo. Está rosnando.

Tenho medooo!

custa muito

¨%$#@!
ops, prometi que não ia falar nada sobre isso...

vou me lembrar

de postar sobre o coment abaixo. Vou sim... Mulheres que se enganam porque querem... Tudo em nome do feminismo fake.

Olhe ao seu lado

E depois de ter encontrado um conhecido na rua (que surpresa!), que depois de dois minutos de conversa (nem sei se lembrava meu nome), dava a entender o porquê de pedir me telefone, fiz algumas constatações:

# 1 não faço o gênero mulherão. Mas há quem queira me ver de perto e acho isso ótimo. Tanto não ser mulherão, quanto merecer uma segunda olhadinha. As outras observações nada tem a ver com esse assunto.

# 2 tem homens que dão em cima de tudo quanto é mulher. Querem marcar encontro e tudo. Eu jamais ficaria com um cara desses. Nunca, nunquinha. Nesses eu não confio. Mas por acaso podem ser os mais fiéis, já que dificilemente atingem o objetivo. Querem mesmo é conquistar, não trair. Ainda assim não confio: paquerar sem fins libidinosos é uma coisa, sair por aí "caçando" é outra. Mas enfim, acho que na maioria das investidas saem perdendo. Esse perdeu inclusive a amiga.

# 3 tem homems em que se pode confiar: o que fica na dele. Não da em cima de ninguém. Se alguma coisa aco…

Efeito novidade

Imagem
O efeito novidade já passou um pouquinho... Mas é realmente de encher os olhos! Ao menos os meus, que são atraídos por esse tipo de coisa.

Já pintei cup cakes, taças, xícaras, cafés, jarra de vinho... Drinks! Drink como tema não é uma novidade, mas pensei ter sido criativa colocando na tela os ingredientes.
Até que ví isso:



É lá do They Draw and Cook. O site reúne o tema ilustrado por diferentes designer, cada um com sua leitura. Todos sabem que a parte do Draw é minha favorita :) 
Eu amei, vi absolutamente todas as ilustrações, e estou visitando a página de cada um agora. Torcendo para o dia em que isso vai fazer parte de um outro trabalho chegue logo. Por enquanto, vou enriquecer meu portfolio. Normalmente, a inspiração vem de onde se menos imagina, mas nesse caso é impossível não se inspirar e ir correndo desenhar batatas em atitude suicida, jogando-se na água para virar purê, eu uma manteiguinha se derretendo de vontade de fazer o mesmo.





No more

Mais, só depois da meia-noite. São sete da noite, meu dia está na metade. E hoje, com mais vigor já que dormi feito uma condenada ao sono  na última noite.

Mais uma beleza para dividir

Destaque para o tecladinho, sem medo de parecer antiquado num gênero mais moderno. Gosto de ousadias assim.

O que acharam?

Voilá!

Depois de dormir por quase doze horas seguidas, acordei novinha em folha. Noite tranquila, e dessa vez sem alergia.

Hoje, 100 %.

E descobri coisas novas, que logo logo vou compartilhar. Hummmm nada melhor que uma novidade...

Sabe quando você se depara com algo novo, ainda que a ideia seja velha, mas numa versão nova? Inspirador. Agora não sei se pinto ou se desenho, mas vou ir fundo nisso.


(bem se vê que sou a escorpiana mais geminiana que já se viu)

Pensando bem

Acho que dou atenção demais ao meu coração.

Minha cópia em miniatura versão menino

Imagem

A menina que me faz levantar as sobrancelhas

Imagem

Nem carregando, direto no erro 404

Tanto sono por causa dessa noite do inferno, que a única coisa que me dá vontade de fazer além de dormir é sentar no sofá e assistir um desenho animado qualquer.

Hoje tenho somente um motivo para correr contra o tempo, o que é uma coisa rara, e me deixa até entediada e temerosa porque quer dizer que tem tarefas se acumulando sem que eu consiga entender a que deveria fazer primeiro. O dia mal começou então dá tempo ainda... Portanto, vou fazer uma pausa e deixar que um desenho animado me leve.

Por agora, não consigo planejar nada. Nem a cor do esmalte das unhas saberia escolher nesse sono todo. Um azul clarinho, tímido e tranquilo? Se favorecer o sono, pode ser este mesmo, porque estou me permitindo ficar slow por uns minutos.

Da última hora

Se o dia ontem ontem foi dos mais agitados, a noite não deixou a desejar nesse quesito.

Entre outros problemas que jurei para mim mesma não falar mas que me tiraram o sono até a madrugada, tive urticária outra vez. Segunda noite.

Poderia ser pior. Sair da cama sem poder tocar no próprio corpo não é tão ruim quanto ter a garganta cortada por causa da dificuldade de respiração. Quando me dei conta disso, agradeci por estar viva, e por ser desnecessário o uso de objetos cortantes, agulhas e apetrechos cirúrgicos, que tenho um medo absurdo.

Corrigindo

Ainda nao deu...
Mas se encerrar a postagem sem titulo ou conteúdo, fica a data denunciando que alguma coisa houve, mas que foi tirada daqui.

Não cabe na minha bolsa, não faz parte do look, não tenho na estante nem na caixa de ferrementas o delete para acabar com coisas já ditas. Portanto, nada de datas abaixo de datas.

Deu erro

de novo. Amanhã resolvo isso. Por enquanto vou dormir amarrada, digo, contra a minha vontade.

(amarrada seria interessante)

Não poderia deixar de compartilhar

Estava eu querida e mimosa (e irônica) navegando de forma básica quando encontrei isto que vou incorpor a seguir (agora eu posso, né).

Depois de alguns auês que não necessitam de desculpas (minhas, egoísta, hoje mais que o habitual), tomei uma dosesinha de vinho que estava querendo fazia tempo. Pouco, mas o suficiente para que eu não perceba, sequer enxergue qualquer erro de português. Lembram que não era do meu hábito beber? Por vários motivos, e o mais recente era a temporada infindável de remédios que deixariam qualquer pileque muuuuito interessante, extremamente perigoso.

DDA não deu sossego, nesses segundos lembrei do tomara-que-caia, dos garçons, do rapaz que me conduziu ao caixa numa loja onde fui muito mal atendida. Nas fotos, na mãe, na viagem à serra que adoraria fazer (e trazer mais vinho de lá, que esse chileno não valeu grande coisa). No "dissipador de dúvidas remoto" que não fala mais comigo. Nem oi. Tampouco tira minhas dúvidas de qualquer natureza, incluindo …

A-ha

Não é a banda. é a-rá mesmo. Do mesmo verbo de u-hu!!!!!!!!!!Era isso. Era só editar html. 
Valeu Sun!
(e o video abaixo era sugestão do you tube, à primeira vista gostei da motos, mas é só um teste. Não assisti ainda, e conforme for, tiro do blog mais tarde)

Teste Vídeo

Video removido. Super removido.

tivesse lido o título...
Continuo tendo problemas com a incorporação de vídeos do You Tube. Então tá. Se minha mãe estivesse aqui, perguntaria o que fiz de errado. E depois da minha justificativa, mandaria que me queixasse a o bispo. Pois bem:

Prezado Bispo

Não sei o que acontece que não consigo incorporar vídeo nenhum, faço tudo como manda o figurino e nada. Mudaram os mandamentos do figurino? Só ser for isso...
O fato que me sinto um idiota, o blog parece uma conversa de maluco, e preciso de uma resposta.

Certa que sua equipe solucionará meu (e de muitas outras pessoas, suponho) problema o mais rápido possível, desde já agradeço.

abraços respeitosos
(meu nome)

P.S. desculpe o auê, eu não queria magoar você...
<iframe class="youtube-player" type="text/html" width="500" height="405" src="http://www.youtube.com/embed/pbBEvQTlR0I?hl=pt_BR" frameborder="0"></iframe>

Sobre twitter

Não sou boa em resumir o que penso ou o que está acontecendo em 140 caracteres. Mas, me rendi ao twitter por que lá, as frases não precisam ter um sentido exato. É livre.

Tão livre, mas tão livre que mais da metade dos meus poucos seguidores não falam minha língua! São pessoas que nunca vi mais gordas em lugar nenhum! Ou são avatares de pessoas bem conhecidas. De qualquer forma me intrigam. Realmente, devem estar muito interessados no que tenho a dizer ou no que acontece comigo...

E só de birra, só sigo os que tenho vontade.

Evasivas

No principio (não foi quando criei o céu e a terra - essa é velha), quando não éramos nem namorados aconteceu um fato curioso, triste e totalmente inesperado.

Como sou impulsiva, e dona de pensamentos desconexos (na visão de quem lê), acabaria me enrolando se dissesse muita coisa por e-mail. Numa dessas respostas, para evitar mal entendidos mandei.


(...)

E a resposta foi das mais objetivas: recebi um belo de um:


( . )


Bem assim. Um ponto final. Mas eu nem sabia que tínhamos algo para encerrar? E muito menos assim, objetivo quase agressivo.

Não me dei por satisfeita, já que eu sim tinha muita coisa para dizer, e para ouvir como vim a saber mais tarde e perguntei why. E a resposta foi em inglês, dizendo que estava cansado mas não disse exatamente de quê. Imaginei que fosse das fugas e respostas evasivas. E eu fugia e era evasiva porque gostava demais e precisava me afastar.

Naquela época as guerras eram ortográficas. Procurei-o durante muito tempo. E depois que nos reencontramos, não podía…

Mulher

Imagem
Multidisciplinar.

(No meu caso, a roupa seca na máquina e a comida carboniza no fogão.)  :D

Delírio (sonhando e acordada)

Ainda lesada. Derrrubada, sem capacidade para dar um beijo decente, um abraço apertado. E nesses delíriros de febre tive até sonho erótico, acredita?

E agora com dor no fígado. Nem sei bem se é fígado, mas é no lado direito e doi.

Seria eu um caso para dr House? Hummm. Tomara. : )

Propaganda política

Na contra-mão do mundo, gosto de propaganda política. Me divirto vendo os textos de outras encarnações, a mesma postura mudando apenas o personagem. Gosto de ver a tentativa vã que a maioria dos candidatos faz para se identificarem com determinados eleitores. Gosto no sentido mais cruel da palavra. Mais feio, admito.
Ontem, um deles falava sobre o que o capitalismo provocava. Frases feitas, clichês, como já era de esperar. Mas era tudo verdade! E se dissesse o mesmo do socialismo diria a verdade mesmo assim, usando as mesmas frases de tão clichês que eram... E falava aquilo com uma convicção de dar inveja! As frases eram tão "linhas gerais" que poderiam ser usadas para definir uma entrevista de emprego, um concuso de miss.
Mas só para esclarecer, não sou adepta de nenhuma filosofia política. Se optasse por alguma, seria a que prioriza a natureza. De resto... todos chovem no molhado e não dá para defender uma ou outra bandeira quando todas são fundamentais. Não consigo optar en…

Já ia saindo quando lembrei

Sabe, eu tenho um sonho na vida. Na verdade, inúmeros. E um deles é saber usar os porquês. Ficaria mais à vontade com o que escrevi se soubesse exatemente quando vai ou deixa de ir acento, quando é junto ou separado.

Esqueci. Como é que se esquece esse tipo de coisa. E não dá para ficar substituindo por why e because toda hora.

(Certa vez, numa prova, tinha dúvidas se pesquisa se escreve com s ou z. Substituí por desenvolvimento de novas tecnologias)

Sei lá o que acontece...

Normalmente quando uma coisa não sai como o esperado, birrenta persistente que sou, vou até o fim do mundo para descobrir o que fez dar errado.

Mas no momento, tudo o que eu quero é encher esse blogue de novas postagens, tirar bem a poeira, e cozinhar um peito de frango que pacientemente me espera em cima da pia.

Não dá tempo, o dito peito está ficando verde. Mas se der à tardinha volto e vejo o que aconteceu com a incorporação dos vídeos.  Eu até colocaria a culpa em Anathema (em quem o upou) mas aconteceu o mesmo com o Kaiser Chiefs, portanto acho que não é culpa de nenhum, não estariam as duas bandas fazendo um complô. Por ora, fico aqui de nariz torcido para o blogger e para o you tube.

Musica de novo

<object width="480" height="385"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/qObzgUfCl28?fs=1&amp;hl=pt_BR"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/qObzgUfCl28?fs=1&amp;hl=pt_BR" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="480" height="385"></embed></object>

Vai, Kaiser Chiefs, canta!

Textos quebrados

Escrevia frase longas, bem longas. Desenvolvia uma raciocínio até o fim, mas tinha um problema: onde é mesmo que eu devo colocar vírgula? Ah, é onde a gente respira quando lê.... Hum, explicado.

Bem, pelo que eu mesma percebi logo depois, não só aprendi como peguei gosto pela coisa. Mas acho que andei respirando demais no meio das frases.

Help! Alguém me ajude a desenvolver um raciocínio usando a escrita sem usar tanta vírgula!

Caso não consiga

ver o video abaixo é sinal de que algo deu errado com esse pequeno sinal de fumaça post.

Não vi janela nehuma, então sugiro que clique bem aqui.

E uma musiquinha para relaxar, mudar o clima (abrir um sol)

<object width="500" height="405"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/jSdTjKfOlqA?fs=1&amp;hl=pt_BR&amp;border=1"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/jSdTjKfOlqA?fs=1&amp;hl=pt_BR&amp;border=1" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="500" height="405"></embed></object>
Não sei como Anathema, até o ponto que conheço pode ser tão variado.
Imagem
Querendo ver coisas curiosas, como essa agulha, clique aqui.

I will be back

Logo logo, uma chuva torrencial de post.

I need

-fazer um portfolio decente;
-aprender mais para deixar o portfolia ainda mais decente;
-melhorar aquele blog;
-adequar a carta de apresentação à próxima empresa que pretendo enviar: o jornal. Ainda não fiz isso.

Se alguém aí passou por um cérebro, foi o meu. Não consigo encontrá-lo.

Acho que vou começar criando um backgroud(sinho básico), isso acho que consigo assim meio lesada.

termometro na boca e chá ao lado da cama (sem enfermeira peituda por razões óbvias)

Imagem
Hoje amanheci quebrada fisicamente. Peso na cabeça. Dessa vez nada tem a ver com o dia seguinte de uma choradeira, trata-se de sinusite mesmo. Meu marido também. Normalmente, costumo postar quando sou a banana, ou a maçã. mas hoje sou o tomate da figura.

O máximo que consegui produzir de manhã foi enviar dois e-mails, e pescar na web mais contatos de agências de publicidade daqui. Claro que essa pouca produtividade tem seu preço, logo depois já senti que tinha coisas acumuladas que estourariam logo no inicinho da tarde.

No inicinho da tarde, minha cliente não veio.

Minha casa está de pernas para o ar. Minha cabeça cheia de remédio, lenta, também. Pelo menos dessa vez tenho algo bem "sólido" para por a culpa: o antialérgico.

Imgem do perolas vip. Gostei tanto que até dei um ctrl d bem dado.
Desde ontem estou com muita, mas muita, saudade da vó.

eu diria que não vejo a hora de falar com ela se para isso não fosse necessário que eu passasse dessa para uma melhor, e se isso não implicasse em ficar longe dos meus pequenos.

Chateada por causa da saudade. Incompreendida e por isso a saudade. Sozinha, o que causa o resto todo.

Mas logo voltarei para postar um vídeo do tangos e tragédias, ou uma piada do Pretinho Básico, ou sei lá, uma tosquice qualquer que faça rir.

Ironia, sarcasmo e outras qualidades que é melhor manter

Um dda não tem o direito de ter problemas como qualquer outra pessoa. É tudo ataque de dda.

Um dda não pode admitir nenhum defeito, nenhuma limitação, ou não vai faltar um dedo acusador dizendo "tu mesmo admitiu que isso, isso e mais isso" ainda que o problema em questão não tenha nada a ver com tais defeitos. Se um dda fala, pode esperar: o conteúdo de suas palavras vai se voltar contra ele, é só uma questão de tempo. Oportunidade não vai faltar!

Mas o pior é quando um dda se cala. Parece que o problema nunca existiu, só porque por uma vez na vida não pôs a boca no trombone, ficou procurando as palavras ou o momento adequado. Ou porque o diálogo terminou. Ou por que falou sim, mas não foi ouvido por que não foi "enfático" o suficiente.

Mensagem na garrafa

Soube que uma amiga está com câncer. Fiquei bem triste. E pensando que ao menos, não interessa minha confusão, nem meu desespero, tampouco essa maldita solidão acompanhada, tenho meus filhos.

Na pior das hipóteses, deitamos os três, um cheirando o cabelinho do outro e fica tudo bem, o resto é o resto.

The question

Fui por partes, eliminando uma a uma. Está bem, vou falar à verdade, de todas as possibilidades, eliminei apenas uma, a vaga de vendedora de aviões incendiando por que não tenho pique para isso hoje, se tivesse sido antes, teria. A outra que é mais slow, deixei em aberto, pelo menos por mais dois dias. Contando com a sorte, vai que seja preenchida... Mas eu não podia dizer não assim...

E decidi que a partir de hoje, sou a mais nova representante de produtos para pet shop da região (essa era a terceira opção, a menos provável, e a que mais me causava ou causa desconfiança.

Depois de tudo decidido, conversamos meu marido e eu e por alguns minutos (longos) me vi à deriva novamente, papel na ventania. Entramos num acordo, ele pensa também que essa é a melhor opção, mas eu não saberia dessa concordância se não tívessemos ocnversado. Das duas uma: seria eu a rebelde sem causa fazendo o que tem vontade, ou a sem liberdade alguma, seguindo o pensamento de outra pessoa. Ainda bem que não foi n…

Pequenos prazeres

Dada a minha ansiedade é se supor que eu não teria paciência para cozinhar. De fato, a comida aqui em casa praticamente se faz sozinha. Mas eu gosto de cozinhar. Não é uma paixão como as outras que tenho, é mais uma espécie de idealismo. O arroz, os temperos e o sal, ficam do ladinho do fogão. Tudo é tão prático que não me assustaria se os visse pulando para a panela sem o meu comando, onze e meia da manhã.

Mas, como sou digamos, muldisciplinar, de vez em quando me dedico um pouco mais e encaro o desafio. Claro que tem receitas que não requerem conhecimento nenhum de culinária, como o pavê de bis. Essas eu não faço, até porque, se uma caixa de bis entrasse aqui em casa, não chegaria até a cozinha. Além disso, desafio é desafio, não? Se é para se dedicar, sou como o menino que põe caneleiras para ver o jogo pela tv.

Por uma questão de saúde (e por gostar de passar trabalho) praticamente tudo o que se come aqui sou eu que faço. Não uso tempero industrializado, pouquíssima gordura e sal mo…

Confissão

Clóvis acha que brigo com ele procurando desafio (como se não bastasse os que eu enfrento por opção). Ou que quando quero um desafio, brigo com ele...

Nada disso, bobo!

Para isso, sigo/visito alguns blogs que por algum motivo me tiram do sério.

Na quase totalidade das vezes, sigo quem o assunto me interessa, pessoas com quem me identifico um mínimo que seja, e blogs que ampliam minha visão das coisas. Vou desde decoração até filosofia, passando por moda, humor e craft e design, música e informática. E nesse "ampliar", incluo aqueles blogues que não concordo com nenhuma linha. Sempre fica algo para se pensar. Opniões divergentes sempre trazem algo a mais, mesmo que num primeiro momento a gente nem perceba e discorde logo de cara. E tem ainda os comentários, verdadeiros fóruns.

Mas confesso, tem uns dois ou três que deixam p*. Claro que não sou louca de manter uma certa frequência nesses blogues, mas periodicamente confiro a tosquice humana (incluindo a minha, nesse caso), e ver …

E fica a pergunta:

para onde eu vou?

Onde é que eu vou parar...

Momento own

Primeira palavra com três sílabas dita pela minha filha: mi-mi-nho.

Fiquei toda orgulhosa, não pela dificuldade, mas pelo conteúdo.

Ciúme

Tem gente que lida com o ciúme de uma maneira tão racional, tão adulta, tão... incoerente!

que me dá inveja (boa) e me causa irritação. Como assim?

E pensar que já fui assim... Hoje, definitivamente não sei e nem quero saber.

Ainda sobre vaidade

Passei alguns dias procurando sapatos. Andei, andei, andei até ficar com o bumbum e as pernas durinhas durinhas. Uma beleza.

Hoje, quando já nem tinha certeza se encontraria, encontrei o sapato perfeito.

Saí da loja realizada, sem medo de ser/parecer fútil. Se não tiver uma brisinha para fazer voar minhas tranças loiras e curtas, tudo bem, pois estou me sentindo...

Para não dizer que não falei de flores

Dei uma pincelada hoje. Exatamente, uma pincelada. Era só um vasinho que estava faltando num quadro. Foi só. Mas tenho telas brancas que pretendo encher de turquesa e outros tons antiguinhos ainda hoje.

Mas antes, uma menina precisa de um vestidinho drapeado, não posso deixá-la na mão. E o design gráfico, a cereja do bolo, me espera.

Seria engraçado se não fosse tão irritante

Não saio alardeando porque não pretendo sofrer preconceito por causa disso, mas também não escondo que odeio, conjugando o verbo me irrito demais quando escuto música sertaneja. Sou amante da liberdade, e odeio limitações, restrições. Mas não se trata de deixar de ouvir algo, se trata de odiar com todas as forças, é diferente.

E não é que uma amiga me mandou um link de um vídeo de sertanejos? Não acreditei. Não, eu não acreditei. Li mais uma vez, ela só pode ter se enganado, continuei incrédula. Mas omitiu os outros destinatários ou era mesmo só para mim. Como assim? Eu lembro bem de ter falado disso com ela. Só poder estar de brincadeira...


Letras miúdas logo abaixo. Puro acetismo, não querendo ler, não leia.

(dia desses, quando fui chamada para uma entrevista, torci para que a vaga em questão não fosse num lugar desses que tem às pencas por aqui que ouvem música sertaneja o dia todo. Não era, graças à deus.

Outro dia, passando em frente à uma loja onde se ouvia o chora me liga implora…

A mesma, repaginada, mas a mesma

Continua gostando de tudo o que for antiguinho, desgastado, amarelado. Todo o azul que for turquesa, todo o amarelo que for ocre e todo o verde que estiver meio oliva, de tão sujo. Rosa antigo.

Continuo querendo o que há de mais ousado, moderno e in. Continuo vendo fachadas em vez de pessoas nas ruas. Ainda observo os sapatos.

Meus cabelos não cresceram. Só a franja cresce feito um alien. Ligeiramente mais loira. Unhas por fazer, não tenho tempo de esperar secar, e está muito frio para usar meu método infalível de pintar as unhas.

Mesmo peso. Altura, sem se fala. Mas meu brain, continua não me dando sossego. Costumo ter as indesejáveis abstrações durante conversas importantes. Sem ritalina então, dá um medo absurdo de perder o fundamental do assunto...

Como vêem, tudo igual, só estou mais "velha", cansada. E dessa "velhice" não me orgulho nem um pouco. Mas como persistência é meu nome do meio, inclusive minha família me chama carinhosamente de Per, logo logo não caber…

Acertando os ponteiros

Como é que eu faço para dizer à Deus que esses sonhos são de cinco anos atrás? Que já deixei de sonhá-los, que eram passageiros, que os que tenho hoje é que são os "de verdade"?

Já estou no plano B. Será que estes levarão 5 anos para se realizarem também? E eu prefiro, quero, busco esse plano b. Soluções alternativas são sempre minhas preferidas. Não que ache ruim que tenha se realizado, mas veio atrasado demais... Vou ter que esperar mais cinco anos pelos próximos? Putz mas esse eu quero bem mais, portanto, tenho mais urgência. Além disso, tenho mais alguns outros na lista, só esperando.

Ufff. Devo fazer dessa espera a mais divertida outra vez. E já começo a me animar com isso também.

wind particular

Seguindo a linha do post do abaixo, eu tinha 13 minutos para ficar beeem bonita hoje de manhã. Quando se é magra, tem um bom guarda-roupa e cabelo bom, fica mais fácil.

Não e o meu caso, não sou feia, mas não é assim tão fácil chegar ao ponto de ficar "me sentindo".

Para ajudar, tinha vento. Se vento for garantia de charme, hoje de manhã todas a mulheres estavam arrasando, tamanha era a ventania.

E vinha de todas as direções. Voltei para casa com meu cabelo assim.

Vaidade

Toda mulher deveria carregar na bolsa a música perfeita, câmera lenta e um ventinho particular, para ficar todo o tempo com os cabelos tipo capa de Nova.

Nunca se sabe quando vamos precisar.
Coisa engraçada.

Estava eu lépida e faceira na parada de ônibus quando... Mariana insiste em descer do colo. Meu Deus, abriu a goela quando não deixei... Parada de ônibus não é lugar de brincadeira. Eu tinha 424 objetos para segurar, sendo que dois deles pesavam uma tonelada, mais eu mais uma criança correndo? Não.

Um senhor se comoveu com o chorinho dela. Eu abstraí. Seria capaz de nem ver o meu ônibus se ele não tivesse falado comigo.

Entramos no ônibus, sentei e ela berrando. Tratei de fazer a cara do gato de botas para que um rapaz (bonitinho, me pareceu) que estava ao meu lado segurasse os mostruários para mim. Ele todo sem jeito, e sem opção, segurou-os. Tadinho, achou que fosse só por um minuto... Fazia cara de poucos amigos. Conforme o tempo ia passando, o choro ia aumentando e eu temendo que o rapaz cometesse um ato insano, de tanto ouvir o delicado desabafo de minha filha. Sabemos que uma criança chorando, tira um monge da inércia.

Chorou o que pôde, e não desistiu. Quando a ge…

Não disse?

Imagem
Estava eu feito uma desesperada atrás de algo que me fizesse rir.

Achei.


Steve Jobs e seu estilo, totalmente autêntico. Duvido que ele mesmo admita que tem um estilo, mas tudo bem. A imagem, em si, não tem nada de engraçado, mas o comentário me fez mostrar as amígdalas. Vai lá ver o que o Gordo Nerd disse.

Só por um minuto

Ontem foi um dia triste, tive que me segurar para não entrar de novo naquela de me isolar, coisa que me parecia irresistível. Tem horas que se isolar é tão bom, tão necessário... Mas não cura tristeza, não cura nada, só nos dá tempo e um pequeno conforto, mas nem de perto comparável ao que um abraço daria.

Hoje eu decreto: não vai se repetir.

Sabe aquela história, deixe a tristeza de lado, não perca tempo de baixo astral? Não funciona assim, não é assim instantâneo, os problemas nao deixam de existir, mas vou fazer o possível para não pensar no que me chateia. E de tão teimosa, vou conseguir.

Amanhã terei outra história para contar. Como diz o grande poeta e sábio (sim, e discuto até a morte defendendo que ele é sábio) Manu Chao, se a vida dá cinco razões para isso ou para aquilo, não importa, force a máquina.

Na verdade, essa tristeza (passageira), não decorre de uma coisa só, não é um motivo apenas. Claro que não o tipo de criatura que quando algo não vai bem, pega o bolo todo amassa …
Cansada de esperar. Nada. Espero mais um pouco e nada.

Ainda bem que faço a espera mais divertidas. Recheada de impaciência, mas divertida.

#podiatamatando#

Quando minha filha nasceu, procurei o corel no computador e não encontrei. Clóvis tinha desinstalado, fazia tempo que eu não usava (claro, pensava só no bebê que ia nascer).

Seguiu-se uma hora de conversa tensa, ele sabia bem do meu interesse por design gráfico e afins. Mas disse que precisava de espaço no computador e que me perguntou se poderia desinstalar e eu disse que sim. Não duvido, devo ter tido o bendito branco na hora.

Ou nao. Mas o fato é que eu contava com isso, era a única coisa que me passava pela cabeça fazer enquanto segurava o bebê por horas. Fiquei muito, mas muito, p*. Argumentei que poderia estar brigando por uma calça jeans, por atenção, por um monte de coisas, mas eu só queria o editor de desenho instalado! Chorei descaradamente, optei por sozinha no quarto, para não exibir minha cara feia, fiquei muda a viagem toda.

Pouco tempo depois, seria tudo diferente. A briga não teria acontecido. Ele jamais faria isso me conhecendo um pouco melhor e eu, bem... eu faço sozi…
Mantendo a sanidade mental com um belo presente que ganhei. Esse:
Conheci minha futura vizinha. Ela é do tipo "ser humano", se comunica. Me identifiquei. Não parece ser daquele tipo de mulher que evito falar. Algumas, preferia não te conhecido, mas... Ela e uma pessoa, não é um cabide, ou a administradora do lar somente. Ela é gente.

Gosto de gente, mas poucos de cada vez. Muita gente me dá... fobia? Medo? Pavor? Não sei, mas evito. Se forem todas mulheres, entao... corro léguas! (questões femininas/falsofeministas/machistas, vale um post)

Uma festa ou um jantar com duas ou três pessoas, fico com o segundo. Não era assim, mas fui ficando. Preferia como era antes.

Voltando ao assunto, acho que vou ter uma alma viva para conviver, dar um oi alegre à tardinha, tomar um chimarrão de vez em quando, trocar impressões...

Odeio, do verbo não quero nem por todo o dinheiro do mundo, morar no interior. Mas tenho saudade dos vizinhos que tinha lá. Tinha um casal muito peculiar, os dois analfabetos, mas muito inteligentes, rudes e amargos, mas comigo era…

Espera

Estou desde a semana passada waiting for e-mail, waiting for e-mail, waiting for e-mail.

Meu deus. Devo checar também o telefone.

Fiquei bem querida esperando, mas já é hora de fazer alguma coisa.

Bonitinha é uma feia arrumadinha

Tinha um assunto para falar, mas optei por omitir por enquanto, até que consiga resumir num parágrafo.

Omitindo a parte não tão agradável, conto a outra parte do ocorrido:

Fui atender minhas clientes sábado à tarde. A ideia era atendê-las rapidamente e voltar para casa. Fui meio assim assim, jeans com uma manchinha de tinta, uma blusa branca que odeio, franja para cima, nenhum acessório, sapatilha surrada. Total sem graça. Meu cabelo era quase uma capa de Nova, de tão amassado. Sei que é tendência, mas olha, a pessoa tem que estar muito produzida para segurar um cabelo assim sem passar por deseleixada. Definitivamente, não é para todas.

Não sou das mais vaidosas, mas a aparência conta sim, ainda mais quando se trabalha com isso, quando se está envolvido com visual e precisa passar uma boa impressão. Errei. Na hora não me dei conta que o limite entre o despojado e o mal acabado é quase invisível.

Rá, mas não dar o meu melhor para minhas clientes não foi o suficiente: tive que andar pelo ce…

Trégua

Deixar para depois o que se deve fazer agora e dizer que está descansando.

Ah tá. Isso tem outro nome...

E não me sinto nada relaxada sabendo o que me espera. Fica a dica, pessoal, não façam como eu.
Hoje é o quinto dia sem ritalina. Sobraram algumas, para quando o circo estiver pegando fogo.

Como eu me sinto? Livre. Eu.

Reaprendi.

O que causa uma novidade

Adoro uma novidade. Querendo me ver feliz, é só dizer "Grazi tenho uma coisa boa para te falar". Já entro no clima antes de saber o que é. O mesmo acontece com coisas que se anunciam ruins. Padeço antes.

Portanto sou aberta ao novo.

Quando soube que o google tinha mudado a forma de exibir imagens para alguns usuários, fiquei curiosa, claro. Louca para ver. Imaginei a oitava maravilha.

Mas será que só eu não gostei?

Antes de ver a imagem, vejo de onde é. Poranto, imagem antes, não ajuda em nada. Outro detalhe: fechar a imagem para entrar na página. Para quê? Não tem mais o frame no topo da página, coisa que eu gostava, principalmente porque abro várias abas, então pela miniatura eu me achava.

E agora? Posso ficar com a versão antiga?

Curtas

Entrou Americam Idiot do Green Day na playlist. Eu gosto. Mas imaginem minha cara quando olhei para o sofá, e vi minha filha de um ano e meio, balançando a cabeça.
E no ritmo!

Outra da menina que me faz levantar as sobrancelhas: ela odeia sujar as mãos. Se ela cai um tombo, limpa a mão no cabelo ou no rosto. O mesmo acontece quando ela suja a mão de comida.
.....

Ontem, estava zero grau por volta de 8 da manhã. Passei muito frio, e quando fui dormir, estava com um ombro todo dolorido, e parecia ter uma espada fincada nas costas.

Para evitar essas dores, hoje fui mais esperta: tomei banho fervendo logo cedo. Gosto de banho bem quente. Mas hoje devo ter exagerado, porque saí do banheiro cheirando a carne cozida (nada de piadas envolvendo canja de galinha).
.....


Estranhamente, não tive nenhuma ideia revolucionária (está bem, exagerando, boa ideia) nos últimos dois dias. Tive uma ontem de manhã, mas não lembro o que era, então do ponto de vista dos resultados, foi como se não tivesse tido. Log…

Laerte

Imagem
Gostei bastante da última...

diálogo curto

No início da gestação da Mariana

-Por que demorou tanto naquele consultório? O que tinha aquele médico?
-Metade da tua idade e o dobro da tua altura.

(mas Clóvis não é baixinho, nem é velho, costumo dizer que ele é vintage, mas eu não podia perder essa, ele pediu, né)

Scarlet

O título é para causar impacto, nao achei outro melhor. O que quero dizer realmente, é que se queixar de barriga cheia é quando até seu ex-marido te oferece um trabalho. Parte de uma representação comercial, não deixa de ser um trabalho e pode ser dos mais lucrativos.

Posso acreditar que isso acontece? Não, estou boba até agora. Como assim? Devo ser mesmo muuuito profissional.

(luz amarela acesa, mesmo assim, só por precaução)

Voltando ao título, alusivo à personagem de "E o vento levou", gosto da reação dela diante do homem morto que precisava ser enterrado. "Vamos deixar para nos preocuparmos com isso amanhã". Tempos de guerra, precisavam fugir, se esconder, não lembro bem. Detalhe: ela que tinha atirado no homem.

passado à tona

Num passado tão distante, mas tão distante que nem parece meu, saiu uma lembrança inusitada: lembrei de quando era telefonista.

O dia-a-dia de uma telefonista, é estressante, mas é dos mais engraçados. Uma coisa curiosa que aconteceu naquela época, foi um rapaz que estav de férias por lá, e usava o telefone toda hora. Eu ainda não o tinha atendido mas sabia da frequência com que ele ligava, do quanto ele "causava".

Ele soube que tinha um funcionária nova (euzinha aqui), e já encheu minha colega de perguntas. E o retrato que ela pintou deve ter sido dos mais encantadores porque das primeiras vezes que o atendi ele já se achava íntimo, e acabou se apaixonando.

Até aí tudo bem, ele era um cara legal. Mais um pouquinho, aconteceria comigo também se não fosse por um detalhe: ele iria embora para (bem) longe logo depois das férias (mania que as pessoas tem de ir embora)coisa que me cortou o tesão logo de cara. Além disso, a mãe dele ligou para mim (do verbo levantou o fone do gancho…

quase zero

Quantas calorias a mais a gente precisa ingerir no inverno para manter o mesmo peso? Ah, que bom, por que eu tenho comido isso tudo a mais em doce, todos os dias. E ao contrário de outros invernos, que eu via geada de manhã e me sentia europeia, nos alpes suíços, tenho sentido somente o frio, não vi nada de bonito ainda além das árvores quase sem folhas. Lindas, mas geada que gosto tanto de ver, não consegui ainda.

(meu endereço de nobre não tem nada, mas a vista daqui é bem bonita, sim)

Quem pensava que eu diria que ando com frio até na alma, não está de todo enganado. Mas ela até que anda bem aquecidinha, por conta dos últimos acontecimentos. Tende a ferver.

Slow

Ainda não foi hoje que comecei o estágio. Semana que vem. Isso me dá mais tempo para me preparar. Então tá.

Impacientemente eu espero...

(sem culpa pela impaciência, ninguém vai sair ferido, nenhuma árvore será cortada por causa disso e o buraco na camada de ozônio vai continuar igual.)
Tricky

Não gostou? Essa, então.

Era isso que eu falaria

ontem. Mas não deu tempo. Decidi ver "O Vidente" e ficar indignada com os cabelos do Nicolas Cage no filme. Ô visual infame para um mocinho de filme! Da primeira vez que vi, estava grávida, lembro que me comovi, odiei o final e devo ter chorado. Dessa vez não. Achei justo, só não suportei os cabelos dele, mas tudo bem. Grávida é uma mulher no superlativo, e não é só pelo volume, tudo é mais.

Voltando à programação normal, que não sou crítica de cinema:

Hoje à tarde começo o estágio. Ansiosa, claro, mas muito feliz. Tanto, que no dia que consegui a vaga, procuraria o Robinho para dar um abraço (ele sempre abraça quem faz um gol, mesmo que ele não tenha participado da jogada), e faria o papel do peixe, da comemoração dos islandeses se fosse necessário. Imagine...

Essa oportunidade é resultado de uma grande ideia que o meu monitor à distância teve. Mas Dedicação é meu nome (Dedi, para os íntimos), é só o começo. E digo minha vontade de aprender é enorme e não há o que a faça dim…

Entre aspas (ai como me irrita)

Tem gente que não gosta de redundância. Outros odeiam gírias, e os adeptos das gírias tem pavor de quem tem um vocabulário mais rebuscado.

Tem ainda os que falam por metáforas, e os que só emitem uma, no máximo duas sílabas. Estes, sabem falar perfeitamente, mas preferem ficar calados, mugindo.

Não gosto dos monossílabos. E dos falam colocando aspas nas palavras. Gesticulam aspas! O fazem não sei se por preguiça, ou comodismo, não buscam a palavra certa e lá vem as mãos, colocando entre aspas. Ou por insegurança, como vi hoje. A mulher falou a palavra adequada, mas ainda assim, por medo de não ser bem compreendida, fez uso do famoso e irritante gesto. Mas o que mais me irrita não é o gesto em si, é a atitude que quem o faz toma: se achando "o articulado", se colocando em evidência, exatamente entre aspas.

Não gosto. #falei# E o português é uma lingua tão rica, tão cheia de sinônimos, sentidos, e num momento de branco total, dá para recorrer ao inglês, espanhol (mandarim, não, …

Enquanto minha filhinha dorme...

Estudei a manhã toda enquanto cuidava das crianças e permiti que a roupa se torcesse sozinha, secasse na bacia mesmo. Fiz comida de uma panela só, abacate, beterraba ao ponto (ponto de carvão) e ensinei o meu filho a fazer uma limonada.

Tomei um café assim assim.

Agora que já reiniciei, relaxei mais ou menos, levantei (bem) o astral, volto ao estudo.

Tenho um post no forno. À noite, quando meu dia recomeça, volto aqui. Ou antes, se considerar que a tarde tenha sido produtiva.

(quando digo cuidar das crianças, me refiro à controlar de perto o que comem, dar todos os abraços que eles pedem, e responder com bem mais que um hum-hum, toma tempo, mas é gratificante. Indispensável.)

Para dar um up no astral

Coldfinger.

As baixas

Não houveram porque não morreram. Só se feriram.

Minha ansiedade quase acabou comigo. Juro: não me reconheci. Sou ansiosa, mas não à ponto de causar danos por isso. E quase causei conjugando o verbo descarreguei em quem não era responsável por isso (mas que poderia ter sido mais paciente, e me ajudado a desacelerar, mas não o fez)

Tenho só três ritalinas na caixa (pensei ter pelo menos umas dez). À mim, a ritalina ajudou muito, mais do que os outros medicamentos, mas com ela eu não sou eu. Tudo bem, gosto de ter a língua bem segura entre os dentes, saber que não vou peerder um detalhe importante por que me distraí, não ver as sensações crescerem feito um alien dentro de mim, vou lembrar das coisas à tempo,e não procastinar tanto. Houve um tempo, em que eu não conseguia ficar cinco minutos (nem dois) sentada no chão com as crianças. Ler uma historinha no gibi era algo looongo demais. E além disso, não superei essa história de tomar ritalina para ficar com minha família ou para fazer co…

A beleza é assim

Você encontra algo belo, admira e guarda para você. Essa é sua particularidade, esse é seu gosto pessoal.

Aí, todos os dias você se depara com a beleza dos outros. Mas essas, são belezas deles, parte das convicções deles. Não suas. A beleza que o outro admira, faz parte do pacote que o torna único. Mas os gostos do outro, são apenas parte do pacote, não a sua integralidade.

(para não perder o humor, jamais aceitaria a beleza de uma música sertaneja como minha e faço um esforço para aceitar que faça parte da beleza de alguém)

Mas como tudo o que é bom, a beleza pode ser compartilhada. Deve. Assim ela se multiplica. Então você compartilha o que tem de belo, seus gostos, suas convicções. E alguém compartilha com você, mais que isso, oferece à você. Quando você olha a beleza oferecida pelo outro com seus próprios olhos, ela pode passar a ser sua e o seu próprio estoque de beleza fica ainda maior. E a beleza que era tida só pelo outro (apesar de ser percebida por você) passa a ser sua també…

Noooossa!

Que saudade dessa telinha branca aqui!

Muita vontade de escrever, coisas boas, coisas não tão boas, humor, mau-humor, gargalhadas, meu choro contido, esperança... Entusiasmo! É disso que quero falar.

(mas a ansiedade tomou conta de mim, muita coisa para fazer, quase me deixei abater. Somado à isso, minha caixinha de "bengalas" está terminando, portanto, a abertura da temmporada de escrita desenfreada será em breve!)

Vou lá, quero dizer, aqui no programa ao lado, e não posso ser pegar na net, ainda que seja final-de-semana e eu esteja prestes a ter um "nã-sei-bem-ainda-o-quê-e-nem-quero-descobrir", e precise relaxar.

Tenho poucas horas para saber o máximo possível de um programa que sequer tenho instalado! E essas mesmas poucas horas para revisar o que acho que sei.

Meu deus... dai-me paciência, traga o gui de volta, mantenha a mariana dormindo e o Clóvis bem longo de mim, para o bem (dele) de todos os envolvidos.