Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

No Badoo

Até eu, espero pacientemente por mim.
E sou russa.
E a foto é minha mesma. Mas em que vida foi que fiz isso?

Trem andando

Não pude beijar virtualmente meus amigos no dia 20 nem pelo celular. Ando desprovida inclusive de créditos no celular. Sem net em casa e passagens relâmpago pela lan dão nisso.

Que me desculpem Martini, Sun, Princess, Ricardo, e os outros que não são blogueiros e que vez ou outra passam por aqui.

Também não pude falar de Amy. Nem dos homens no dia deles como pretendia.

Isso estava para mudar, colocaria net em casa e pronto. Alimentaria o cérebro com todo o tipo de novidade, saciaria a sede de deixar a cabeça voando e meu estudo avançaria consideravelmente. Isso sem contar na interação com gente que gosto muito conhecidos (palpáveis) ou não. Mas não. Mudei de ideia.

Essa meia horinha longe de tudo me renova. É o meu momento de sossego pois é fora de casa. Ansiosa por ver meus pequenos à tardinha, mas renovada.

Mas let it be.

Mas meus cabelos... quanta diferença!

Ando meio lerda para essas coisas, mas finalmente o blog está de visual novo.

Até a cigana

Estava eu bem querida, bem mimosa aguardando o onibus para ir ver meu filho (estava com a avó, nas férias) quando fui abordada por uma cigana.

-A moça bonita isso, a moça bonita aquilo, e um monte de outras coisas que não entendi. Me dá dinheiro que te vejo a sorte!
-Não, obrigada!
-...., ..., .... insistindo...affe maria..
-a moça vive brava, tá sempre nervosa.
-toma aí o dinheiro. - me afastando para n~´ao ouvir mais nada.

Marketing pessoal

Virou-se no meio da noite, depois de ter sido dada por encerrada a discussão e proferiu:
-A pessoa para conviver contigo numa boa deve saber ler muito bem nas entrelinhas, estar sujeito às tuas oscilações de humor e constantes mudanças de ideia!!!

Eu ri. Quando éramos apaixonados ele teria dito: tu és subjetiva, pessoa que fica feliz com facilidade e surpreendente.


Me fez lembra Clarice Lispector:
"Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro."

Sobre os homens

Parabéns.


 Sem mais, agora vamos ao post:
Não vivo sem um amigo homem. Adoro a companhia sem frescura masculina. Trabalhar num ambiente masculino é mais fácil. A objetividade masculina é uma característica que homens e mulheres deveriam ter.

Mas continuo mulher. Em todos os sentidos, inclusive na quase ausência (no meu caso) de objetividade.

Deu vontade de contar

Meu pai vive às voltas com gadgets, e tinha além do proprio celular mais um que poderia recuperar. É o legítimo gaudério moderno.

Já eu, perdi um pouco do gosto por esse tipo de coisa. Nem mp3 tenho e ainda aguento sem cometer um crime a música dos outros no ônibus. Meu celular parecia ter levado um tiro, para ler uma mensagem antes tinha que encaminhá-la, pois a mancha preta no visor atrapalhava bastante além disso meu filho precisava de um também mas comprar que era bom ninguém se dignava a fazer.

Dia desses meu pai veio trazer o celular dele para mim, tinha mandado arrumar.
Tinha me avisado uns dias antes e eu estava ansiosa no modo ligado só para variar.

Quando ele foi fiquei pensando que não era bem o celular que eu queria. Queria meu pai por perto, isso sim.

Em nova versão

Quanto ao visual do blogue, já providenciei uma figura para o cabeçalho que preste. Já decidi as cores. E quanto à mim, bem, eu... Eu parei de tomar (pela enésima vez) os medicamentos que seguram o dda no seu limite. Aceito congratulations. Por outro lado, passou aquele contamento gratuito, começo a esquecer coisas básicas e indispensáveis (que logo vou dar um jeito) e ver a vida de novo meio sépia. Por vezes multicolorida.

Aquela eterna inquietação voltou. Ando insatisfeita e com a cabeça explodindo. Mas tudo bem, assim a vida anda.

Meus cabelos... quanta diferença!

Nada disso. Mesmo chanel de sempre, alternando entre com ou sem franja, e com ou sem aqueles fios na frente ou com ou sem nuca alta.

Mas é o mesmo chanel básico de sempre.
Ando sem óculos agora. Quebraram. As duas hastes. Isso: as duas. Poderia usar como seu Creyson, mas a ideia já está batidinha demais então, apenas aperto um pouco o olhar e reconheço meu ônibus pelo tamanho da palavra coincidindo com o horário.

E o blog, vai ficar assim meio nu até que providencie roupas novas para ele. Meus leitores merecem estar confortáveis. Devo diminuir o contraste entre fonte e fundo?

Curtas

Na faculdade, meu colega e a prof:
-gente, porque vocês não podem conversar durante a aula etc, etc etc.
-Mas estamos só nós dois, os outros colegas estão tomando água (que sede tem essa gente nesses 4 ou 5 graus!)
-Mas porque não deixam para conversar nas outras tantas horas da semana?
-Por que se eu falar com ela durante a semana minha mulher se separa de mim!!!

-Diz para ela que sou bem sem gracinha!
-Aí sim que ela me mata!

Nossa, mulher ciumenta! E eu juro, não tinha climinha...

Explicando melhor: meu colega é do tipo que não tem sossego, impulsivo, falante, mas consegue ficar sentado. Pensa que não sou solidária com os "desprovidos de quietude"?

.................................................................................................................

Na loja, atendendo um distinto senhor do interior, mas desses de ótimo humor e vocabulário surpreendente.
-Essa bota não te parece afeminada?
-Não. Mas se tu prefere uma de solado mais roubusto, mais rústica tenho e…

Run, G, run!

Tudo certo no eletro, a arritmia se controla relaxando. Se não relaxar vou para a emergência. O único problema com meu heart é a falta de condicionamento.

Nem acredito que ontem corri incríveis 20 minutos à noite, depois de um dia cansativo, crianças brigando e marido louco para que eu saísse de uma vez.... É, eu fui.

Eu ainda não acredito que estou disposta a correr 1 hora por dia, já que os ritos tibetanos já estavam de bom tamanho.

#agoravai?

Um colega (daqueles que merecem um busto deles na praça, ou no mínimo uma placa com agradecimento) me falou de uma vaga numa agência.

Rezei para tudo quanto era santo. Passei na agência e enviei os layouts mais bonitinhos (não é bem essa a palavra, mas eram desenhos que não me deixavam envergonhada) não sem antes perder horas de sono já que não tinha mais do que 2 prontos. A história nada brilhante da minha vida não deixava que eu achasse nada do que tinha feito digno de entrar num portfolio. Coisa de dda já que naõ sou uma pessoa insegura. Era só um medinho, uma vontade de fazer melhor antes de dar por encerrado. Bagagem, leitura útil e inútil tenho de sobra, conhecimentos (até bem grande) sobre marketing também faltava era dominar os softwares e... ok, peito também.

Isso no dia anterior  ao que tinha marcado uma esteira no cardiologista então já estava um pouco apreensiva. Era o que se chamava de dia D.

Marcaram a entrevista e eu fui. Cinco horas antes do horário marcado. Isso: era …