Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Sonhos

Sempre os sonhos me perturbando. As asas, como dizia um amigo. Meu problema são essas asas que insistem em se abrir.
Quanto custa ter o direito de ver um filme quando quiser, desenhar, ler, estudar, ser dona da própria geladeira, educar os filhos como achar melhor e ter um horário razoável para dormir?
Quanto custa não ter ninguém te dizendo que tu é muito ciumenta com os kids (juro, não é ciumes, a doente que me chama assim é doente mesmo)?
Quanto custa não tomar chimarrão e nem beber? 
Quanto custa perder as próprias coisas e encontrar no mesmo estado, dentro de casa? Jogar um god hand bem tranquila? Fazer um macarrão com molho branco e nada de carne? Deixar o pratinho do Carlos na geladeira e saber que vai ser essa (e nao um salgadinho que eu não dei) a comida que ele vai comer no outro dia?
Quanto custa ter um gato?
Quanto custa transar com o próprio namorado? 
Quanto custa ser livre, ainda que dentro dos próprios limites, mas não dentro do limite dos outros?
Aí ele me diz: alguns dinheiros! 
Se eu tenho esses dinheiros é isso mesmo que vou fazer. 



give yourself a chance

Voltei para o meu antigo emprego na loja de calçados, e como não tenho nem de longe as mesmas intenções de antes a coisas estão bem diferentes para o meu lado. Não passo de uma vendedora com futuro razoavelmente promissor. Tenho andado discreta (com a ajuda de duas ritalinas por dia), contida e bem menos ironica. Claro que quando vou para o depósito, rio sozinha ou dou socos nas coxas até doer bastante, tamanha é a raiva, que não sou de ferro. Mas no geral, tenho andado menos em evidência profissionalmente falando.

Continuo com a proposta (que falei num post bem mais abaixo, de um antigo chefe) tentadora do cara tentador (aos olhos da mulherada) em aberto. Almocei com ele dia desses. Não, não fui a sobremesa. Conversa, risadas, uma certa empatia e mais nada. Não aceitei na hora justamente porque o cara é tentador, por mais que eu saiba separar as coisas, por mais que não me passe pela cabeça ficar com ele uma única vez que seja. Dia 9 nos falaremos de novo.

E a vontade de desenhar? N…

In love parte 398547609348576

Em quanto tempo a gente se recupera de uma dor tão grande como a que vivi uns meses atrás e recomeça como se fosse a primeira vez, como se nunca tivesse se apaixonado?

Nos olhos dos outros

A pimenta não arde nos olhos dos outros.

Sendo meus os referidos olhos, não arde de jeito nenhum e a reclamação é desnecessária, o post que segue é mais para rir do que para outra coisa.


Não consegui enraizar (um mínimo que seja) em lugar nenhum. Aluguei uma casa quando me separei  a uns meses atrás e foi horrivel. Mudei para a casa de uma amiga que estava em condição parecida com a minha ignorando que a ideia era péssima. Na hora era a única solução. OK.

Resumindo, 3 mudanças em 4 meses.

Já me disseram que deveria ter um caso com o Fabiano, o meu personal mudanceitor para ter algum privilégio, já que solicito seus serviços com uma fidelidade canina.  Disseram também, que eu poderia deixar as coisas no caminhão e pagar um valor por mês para ele, como se fosse um aluguel. Mas a melhor de todas, e não sei como não saiu da minha cabeça essa ideia foi "compra um trailler!!!!"

MMA

Quase apanhei de uma mulher. E olhe que nem quero o (agora ex) marido dela. Nem pintado.

Fofa, ajusta tua mira!

No face

Não dá pra postar nada. Só gatinhos fofinhos. Tem uma dúzia de pessoas que tem o poder de transformar minha vidinha num inferno que acompanha diariamente.

De vez em quando, divirto-os com minhas reclamações. Quando acontece algo realmente bom, não posto.

Lonely and alone

Depois que um grande amigo se afastou um pouco, me sinto ainda mais incompreendida. E ando calada. Duas ritalinas dão um jeito na língua solta, no impulso. E essa solidão da alma, que me referi no último post, essa sensação de não ser compreendida por ninguém é realmente desagradável mas já estou me acostumando.

E.T

Já notei que quanto mais tento explicar mais confusa a situação parece. OK, conheço muita gente assim, que não consegue ser objetiva quando fala de si mesmo, ainda que sejam clarividentes ou bem segura.
E que quanto mais me exponho mais distante fico.

(essa última verdade me judia, porque ela significa não a solidão do coração, de casal, mas a solidão da alma mesmo)

Tombo

Caí do skate, e tô com uma bela de uma cicatriz na perna. Faz parte. Skatista que não cai é pq não anda.

Vou exibí-la com um certo orgulho.

como um gato

É assim que tenho andado. Nunca estive tanto tempo descansando (ainda que compulsoriamente). Repouso não fazia parte do meu dia.

Mais que isso: não tenho cama fixa onde estou morando. Um dia durmo com minha filha, outro dia com meu filho, outro dia sozinha, outro dia dormimos todos juntos.

Se eu deitar no jump eu durmo. É só me enrodilhar.

Se eu deitar em cima da moto, eu durmo.

Não preciso mais nem do meu travesseiro.

(o único problema é que eu não sabia que era sonâmbula,  coisa que tem rendido boas risadas e nenhuma memória do que disse ou fiz)

As cartas nao mentem

E o tarot me avisou dessa sensação de liberdade.
E apareceu a estrela.

(qdo vi só emiti um "wow" bem baixinho)

Mas é aquilo:

Tendo ideia ou plano melhor que o meu, troco na hora.

Para que se apegar ao que não vale a pena? Isso não é ser instável. Isso é saber a diferença entre o que é bom e o que é melhor ainda. Ou a diferença entre o que vale ou deixou de valer a pena.

#semdono

In love

Dia desses parei e pensei comigo mesma: não tenho coração. Minhas paixões (pelos homens, não assuntos ou coisas) são tão curtas... depois que passam parece que nunca aconteceram. Meus "encantamentos" tem durado no máximo alguns dias. Beijar na boca a mesma pessoa mais de duas vezes é coisa que não tem me feito a cabeça.

Mas dessa vez, parece que tem durado um pouco mais. Conheci alguém que me deixou curiosa, desafiada, instigada em todos os sentidos. Com esse eu quero mais que beijar na boca duas vezes. Ele é mais novo do que eu e mais por isso, acho, do que por outra coisa tem me atraído de um jeito... que...

Por ser mais novo, não é o cara típico que vai ser o salvador da pátria nem interferir nos meus planos ou decisões. E isso é ótimo. E me deixa com mais vontade ainda de me jogar com tudo. Medo e vontade.

Isso não vai dar certo. Não tem a menor possibilidade de ficarmos juntos. Então eu penso: já que vontade é coisa que dá e passa, que tal deixar rolar o que quer que se…