Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2013

Muro das lamentações

Meu stress tá num nível que já quase não suporto. E não vejo como sair dessa, não vejo nada que me faça mudar a mood.

Deitar no colo do meu namorado seria a melhor saída hoje. Mas ele não quer ir lá em casa porque vai para a academia. E tá chateado comigo porque não quero morar com ele agora, porque isso implica em sair de perto das pessoas com quem posso contar para me ajudar com os kids. Resumindo, quero morar com ele, quero mudar de bairro mas isso resulta em perder o pouco de liberdade que demorei para conseguir. Vamos empurrando a mudança para o futuro então.

E a mood continua a mesma. Mas não se engane querido leitor, meu problema não é só esse. Ah, se fosse...

Tempos atrás a luz do fim do túnel era verde. Hoje anda apagada. Que falta me faz!

Declaro aberta

a temporada de posts que deveriam ser conversas.

Ou seja, digitar para não falar. Enquanto escrevo organizo os pensamentos para quando for falar ficar tudo mais claro e resumido.

Ok, resumido até não. Mas mais claro, sim.

vingada

Dia desses sonhei que fotografava, a principio sem querer, os espiritos que supostamente me atormentavam. Eram muitos!

O sonho não era mau, e eu me sentia vingada, como se tivesso descoberto o rosto do inimigo.

Dia de comemorar

Quatro meses de namoro. Nunca namorei ninguém todo esse tempo porque ou o desencanto vinha antes ou acabava morando junto, do verbo casando. 
Estamos os dois de parabéns. Mas admito, a missão dele é mais penosa que a minha. 
Eu realmente não sei o que é pior: se é ter alguém que não desiste de você quando você quer ficar sozinha e ficar amordaçada e presa ou se é o medo horrível de que alguém que você quer muito abra mão assim facilmente.
Acho que essa é uma das diferenças entre amar e não amar: ou você quer se libertar, ou quer ficar junto.
Não existe meio termo. Quem não ama demais, não ama o bastante.

Por lei é assim

Quando mais se precisa de sossego, menos tranquilos ficamos.

Quanto mais tento me concentrar, mais aquela sensação(*) desgraçada aumenta.

*tem horas que parece que tenho muitos rádios ligados na cabeça, todos em estações diferentes simultaneamente. Ou um zzzzzzzzz de abelhas. Ou tudo isso junto. Isso quando o pensamento grita tão alto que posso ficar imóvel só escutando.