Uôpa! Chega para lá!

Hoje fui ver meu menino que tinha viajado com minha mãe, e agora está indo ver o pai dele.

Depois de matar a saudade, de perceber o quanto o rostinho dele ainda é pequeno, de olhar ele falar tão embevecida que não ouvi uma palavra, fiquei fazendo hora na rodoviária.

Abanando para todos os ônibus, roubando o tchau dos outros :)

Mudando de assunto, tirando totalmente a beleza do parágrafo anterior: deu tempo inclusive de um senhor me pedir um guaraná de garrafa que gentilmente não dei. Eu ia dar, estava mudando de ideia quando... ele estava comendo um pastel e respingou no meu braço - até ai tudo bem- e ele limpou. Limpou, limpou, limpou...! Tinha um toque tão sutil que me desconcertou, estava perto demais e era tremendamente feio. E mesmo se fosse bonito... tira a mão daí!

Não cheguei a falar porque minha estupidez não chegava a tanto, mas pensei: Peraí, moço! Quer um guaraná de garrafa ou vai cantar para mim "se eu tivesse um canudinho, eu chupava você, para dentro do meu mundinhoooo pra comigo viveeeeer"?

Comentários

Martini Bianco disse…
Aproveitador esse cara! :)

E de onde vem essa letra? Ahaha..

Engraçado que até das mais rotineiras situações, transforma-as à tua maneira e elas parecem ganhar vida. É raro..
desculpe o auê disse…
rsrsrsrs

É Renata Arruda, mas acho que é uma regravação.

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz