Terapia

Preciso... Inclusive que alguém me diga o óbvio. Sou o tipinho irritante que precisa de elogios e de afirmação. O que também não é de todo ruim, suportável ainda. (#podia tá matando)


Ontem estava vendo o primeiro episódio da 6 temporada de House. Ele estava internado numa clínica, e fazendo terapia com o psiquiatra que era o grande inimigo dele. Oponente, quero dizer. Já disse que sou um House de saias sem conhecimento de medicina e diferente do personagem, obviamente sou real. Claro que não profiro coisas tão cruéis, o que não quer dizer que não pense e mais: entendo exatamente o que ele sente. Me identifico e me pego pensando, por vezes admito que me emociono com tamanha incompreensão. E como não poderia deixar de ser, quando alguém diz que ele é isso ou aquilo quase me sinto pessoalmente ofendida. Portanto, as explicações do médico caíram como uma luva. Sem exagero e sem ironia, que fique claro. O que falo é a mais pura verdade.


Pretendo hoje ainda ver de novo aquele trecho. E de novo e de novo e de novo, até que entenda o que me incomodou tanto, os insights não ficaram claros.


E para completar li  "Suporto me ouvir? Suporto conviver comigo mesma?" e isso foi outra luz que se acendeu. Para essa pergunta eu já tenho a resposta embora não tenha sido feita à mim, tal como a terapia fictícia: não, eu não suporto mais me ouvir, os gritos que tenho aqui dentro são alto demais  e não, não suporto conviver comigo mesma. É por isso que quero pessoas para conviver. Quero ver o mundo delas o quanto é diferente do meu. Espero que o que tenham a me dizer me soe tão alto que eu não consiga escutar o que tenho aqui, que faça os meus pensamentos pararem de me atordoar toda hora. 



Comentários

•SunSamadhi• disse…
Concordo. Feliz aniversário, atrasado :)
June disse…
revejo-me perfeitamente nessas palavras. Quero pessoas novas na minha vida, historias novas, opinioes diferentes... Venham elas.

Um beijinho *

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz