à deriva

Bem, arranjei um novo emprego. É cedo para dizer se gosto, já que de início é claro que sim, já que sou do tipo beeeem entusiasta.

Não foi escolha minha. Os outros escolheram por mim (e eu com relutância permiti) e as circunstâncias não deixavam que dissesse não. Não é numa agência como eu tinha planejado (e me preparado para isso), nem num jornjal, nem revista nem nada criativo - por isso a revolta. Pedi demissão do meu outro emprego por isso, para ir atras do que realmente gosto.


Tudo por que preciso de dinheiro. Era isso, ou trancar a faculdade.

Para falar a verdade, minha vida perdeu boa parte da graça. Não tenho estudado, nem criado nada.
Mas eu estou gostando do novo emprego pois trabalho relativamente concentrada, não tenho os mesmo problemas que antes e paga o leite das crianças. Essa é a parte boa. A parte ruim é que ando tipo morta viva. Também ando distante das pessoas que gosto. Ando distante até de mim, nem sei mais o que fazer para chegar onde quero.

Oremos:
Que Deus me dê paciência para ficar mais um ano e meio. E sonhos novos, por que esses me parecem impossíveis.

Comentários

Martini Bianco disse…
Espero que essa nova fase chegue rápido e que não dure um ano e meio. Tu precisas de estímulos novos constantemente mas nem sempre eles aparecem. Eu também padeço disso e foram precisos quase 3 anos para agora ver algo de diferente surgindo.

Não desistas, mesmo que esteja te deixando uma morta-viva porque quem é viva por natureza como tu nunca será uma morta.

Use o meu antídoto, sonhe os sonhos possíveis, mas sempre um nível um acima :)

Beijão :)

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz