Podia tá matando

Tem um mendigo que vem aqui em casa quase todas as semanas.

Ele leva qualquer coisa que pusermos numa sacola e agradece. Nas primeiras vezes, ouvi a batidinha na porta e não o vi, mas agora já sei da mania de bater e descer da área rapidamente. O ritual é sempre o mesmo. Bate, se afasta, pega qualquer coisa que entregarmos à ele, avisa se alguém esqueceu algum brinquedo na rua, agradece e vai embora. Se não tenho nada de reciclável (nem sei se é bem isso que ele quer) só aviso para passar outro dia e ele pede uma vela.

Tenho que ter sempre velas em casa. E deixo sempre algo separado para o Polenta.

 Perguntei se ele tinha sobrinha ou filha menor que a Mari. Ele não, mas sabe quem tem. Dei roupinhas e sapatinhos. Minha irmã mandou dois pares de botas (de couro!!!), caixa de chá, tapetes, estojo de óculos e aquelas meinhas de celular, cestinhas... Mas antes que eu pudesse entregar, minha outra irmã esteve aqui e confiscou as botas. Bem, talvez não fosse o tipo dele...O resto ele deve ter adorado.

 Às vezes, ele tem um pouco de sorte. Dia desses demos 4 cadeiras. Ele nao sabe, mas vai ganhar uma prateleira. Mas eu acho que ele gosta mesmo é das sacolas, da surpresa ao abrir, da novidade. Eu guardo e dou para ele não pela pobreza, mas por saber que ele gosta. Nem imagino o que ele faz com as coisas, se joga no lixo (ou nos fundos de casa), se dá para alguém ou se vende. Mas o que eu mais gostaria de saber é o que ele faz com as velas.

Comentários

Martini Bianco disse…
Funciona como uma criança... a curiosidade de saber o que tem dentro. Para um mendigo, uma surpresa dessas faz sempre bem. E tu tem sensibilidade para ver isso...

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz