In love

Dia desses parei e pensei comigo mesma: não tenho coração. Minhas paixões (pelos homens, não assuntos ou coisas) são tão curtas... depois que passam parece que nunca aconteceram. Meus "encantamentos" tem durado no máximo alguns dias. Beijar na boca a mesma pessoa mais de duas vezes é coisa que não tem me feito a cabeça.

Mas dessa vez, parece que tem durado um pouco mais. Conheci alguém que me deixou curiosa, desafiada, instigada em todos os sentidos. Com esse eu quero mais que beijar na boca duas vezes. Ele é mais novo do que eu e mais por isso, acho, do que por outra coisa tem me atraído de um jeito... que...

Por ser mais novo, não é o cara típico que vai ser o salvador da pátria nem interferir nos meus planos ou decisões. E isso é ótimo. E me deixa com mais vontade ainda de me jogar com tudo. Medo e vontade.

Isso não vai dar certo. Não tem a menor possibilidade de ficarmos juntos. Então eu penso: já que vontade é coisa que dá e passa, que tal deixar rolar o que quer que seja e pronto? Quando isso terminar, já terei diminuido essa atração, essa coisa que eu não sei o nome.

Mas já decidi: tenho medo mas vou correr o risco. Ah, se vou... E mesmo se no futuro doer muito, tenho as credenciais de toda mulher com mais de 30 só que um pouco mais despojada.

Além disso, tenho o incrível poder de ficar bem em qualquer situação.

(e uma cara-de-pau de dar inveja)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz