Normal, tudo bem normal. Naturalmente.

Num  momento de inconsequência, (ou desabafo) do qual me arrependo muito, disse para meu ex-marido na frente dos meus kids que na situação que estávamos o melhor era deixar a menina com o pai dela e o menino com a vó. E eu? Bom, eu... sumiria no mundo? voltaria para minha cidade natal? acompanharia um circo? Mochila nas contas, vento na cara e a estrada pela frente? Essa última me atrai, confesso.

Quando chegamos em casa foi o momento do acerto de contas. Meu menino chorou muito. Questionei a reação dele, e comentei que ela parecia feliz (ainda que cada uma das reações deles tenham me causado dor) e o que eu vi a seguir foi uma grande lição:
-Acontece que ela vai estar com quem ela ama, que é o pai dela, e eu vou estar com a vó que eu gosto muito mas que não a pessoa que eu mais amo que é tu. E o pai dela pode cuidar dela e ou meu, que poderia estar comigo, está internado. Só tenho tu... E tu quer de me deixar?

Meu Deus... me arrependi tanto de ter dito aquilo....

Falei que estava realmente chateada, que quando disse aquilo era para que a pessoa com quem estava falando aquela hora percebesse que tem pessoas em situação pior que a dela e parasse de reclamar de barriga cheia. Ou seja, foi na tentativa de abrir os olhos do sujeito. Nisso, outra confusão: a menina começou a chorar porque nao ia morar com o pai. Mais uma vez questionei.

Falei que lugar de filho é com a mãe (não é uma opinião minha, mas por acaso, sou a mãe) e que ela me deixava ainda mais triste, porque eu a amava tanto que não suportaria viver longe deles, e que a assim ela deixava claro que não me amava tanto quanto o menino. Tomei outra lição:
-Claro, agora que ela tá chorando parece mesmo. Mas só parece.

Encerramos a conversa logo depois. Falei que tudo tinha sido da boca para fora, que nunca faria isso. Mas admiti que tomei uma grande lição. Por que aqui em casa é assim. Li "as crianças aprendem o que vivenciam" e sei criaças que se ensina pelo exemplo e procuro ensinar entre tantas outras coisas, que devemos voltar atrás quando erramos, se permitir aprender com quem quer que seja que tenha algo para nos ensinar e que o diálogo sincero sempre é a melhor saída.

Atire a primeira pedra quem nunca falou nada que magoasse de verdade uma pessoa que ama. Atire a primeira pedra (e espero que sejam muitas) quem nunca aprendeu com os filhos.







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz