GPS

Tô meio perdida. Odeio estar perdida. E quando digo odeio, quero dizer odeio mesmo, que vou fazer o que for necessario para mudar isso, que não suporto mesmo e que tenho pressa, muita pressa de entender logo tudo isso.

Vamos aos fatos: meu namorado veio morar aqui. Até aqui tudo bem, eu realmente gosto dele, no fundo queria isso mesmo que não fizesse muito força para que isso acontecesse (como costumava fazer com as coisas que queria). Mas sei lá, me perdi de mim mesma.

Não sei se tenho o direito de ficar perdida desse jeito. Devia estar na fase do foda-se  para tudo, mas não consigo. Queria não me importar tanto com ele, com o que pensa a meu respeito, e mais ainda queria estar não dando a mínima para o que ele vê de errado. Acho que é aquela vontade imensa de ser perfeita para quem eu gosto, ou seja vaidade. Ou aquele medo de cometer os mesmo erros.

 Gostaria de estar com a autoestima tão alta, mas tão alta que ficar sozinha em casa seria um prazer. Mas nos últimos meses tenho verdaderio horror de ficar comigo mesma. Minha cabeça continua gritando e grita ainda mais alto quanto estou sozinha. E o que ela diz nem sempre é bom, então prefiro focar nas minhas crianças, no mundinho deles ou do meu "marido". Quando nenhum deles tá em casa é um inferno. E tem dias, como domingo passado, que nem estando perto das pessoas que mais amo, no sossego da minha casa, com tudo o que tenho de bom aqui, fico feliz. É desesperador.

É esse desassosego, essa cabeça barulhenta e essa total falta de direção. Além de perdida me sinto estúpida.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz