Precisamos falar sobre

A famosa luz do fim do túnel. A verde. Aquela verde, que representa alguém com quem eu possa falar a verdade amarras.

Já ando sensível outra vez. Sinto que estou em carne viva de novo e me parece que dessa vez, a pele nua é meu estado natural pois já não tenho tido tempo de me refazer. Continuamos, então, já que a sensação não é de dor. Apenas um toque perturbador.

Segue o drama...

Não me reconheço nessa dependência. Sou um inseto num vidro.
E percebo que não é por estar grávida, talvez esse seja meu estado mais libertador dos últimos meses. Me sinto andando em círculos. Ah, é uma fase. Parece interminável.

Por um tempo tudo parece tão perfeito... tudo está no seu lugar. Moro perto dos meus filhos, meu "marido" ao meu lado embora não compreenda nem a metade do que eu sinto ou falo, voltei a criar, a sonhar e a planejar. E de repente, parece que estoura a bolha. A realidade salta aos meus olhos. Bate aquela solidão que ninguém consegue aplacar. Aquela frustração, não ouso me olhar no espelho.

Sinto que tudo é demais e não quero sufocar os que estão à minha volta, já que eu mesma não estou aguentando tanta intensidade.


Preciso me perdoar, já me disseram para nao exigir tanto de mim mesma. Preciso antes de mais nada, que alguém me compreenda.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz