Divagações

Já pensei o quanto seria bom ser detenta, passar uns 6 meses na cadeia. Claro que não sou doida de achar que aquilo é o paraíso, não merece nem a etiqueta "it's no bad" mas que dá para passar algum tempo lendo, estudando ou divagando (como eu queria) livre, sem pressa ou interrupções, ah isso dá. Distraída à vontade. Olhar perdido, nem ouvindo. E de repente, sem aviso algum, sofrer um start e partir para a ação.

Numa outra época que durou anos (mas parecia uma vida) e que obviamente não sinto a menor saudade, sonhava em ser internada. Reclamava por não ser bêbada o suficiente. Ou insana. Boba e sem noção sou de sobra e meus amigos sabem da bobice, do riso escancarado e quanto à falta de senso, fica claro nas confissões acima. Mesma coisa que na cadeia, só que um pouco melhor. Medicada, atendida, em segurança e com gente igual a mim.

Já disse que não sou louca o suficiente para ser internada (se é que loucura é um termo que se aplica para ser politicamente correta) mas sou profundamente empática com portadores de distúrbios em geral. Entendo-os. Não importa se a pessoa quer numerar folhas de caderno ou tem medo de bactérias. Não importa se tem medo do vento ou vontade absurda de agredir o que quer que se movimente à sua frente.

Mas o que queria mesmo era dar um tempo para a cabeça. Por vezes não só isso, de tão perdida que estava. Mas como eu queria um tempo para deixar a mente divagar sem rumo. Não ficar tentando manter a atenção, livre para pensar o que quiser, absolutamente imóvel, apenas "escutando" o que a mente tem para dizer, sem levar em consideração o quanto os pensamentos podem ser vãos, incompletos ou profundos.


(atualmente acordo mais cedo para me conceder esse direito)
(By the way, essa é minha hora de folga. Sozinha numa lan house até que a hora chegue)

Comentários

Martini Bianco disse…
Só os cegos te observam, só os surdos te escutam, só os mudos te dão as respostas que procuras e só os loucos te entendem.

É possivel sermos felizes nesta anormalidade, difícil é encontrar pessoas que tenham todas essas "deficiencias" :)

Já me satisfaria uma ou duas dessas :)

bjs
Princess Deluxxe disse…
tb adoraria ter um tempo só pra cabeça, sabe? conseguirei fugir do trabalho (por seis meses) por ter decidido ter mais uma filha. mas como fugir da família??
oh, céus!
=)
desculpe o auê disse…
Martini: as aspas caíram muito bem em deficiências. Dizia clarice lispector algo sobre os defeitos sustentarem todo o nosso edifício.

Princess: A cabeça vai junto. E a família também!!!!! oh céus mesmo. E ficar longe deles é também digno de dizer oh céus. :D

Postagens mais visitadas deste blog

Como cada signo troca uma lâmpada

Dicas para disfarçar e controlar as lágrimas

Putz